Cássio Toledo

Sono, mau-humor, fraqueza… Esses são apenas alguns dos sintomas que podem estar relacionados com más escolhas no prato. Uma alimentação equilibrada, sem excessos e nem muitas restrições, é a chave do sucesso para uma vida mais leve.

como a sua alimentação afeta o seu bem-estar

Como a sua alimentação afeta o seu bem-estar

Você já sentiu aquele peso na região abdominal após um almoço mais carregado em gorduras, massas e frituras? Pode ter certeza: é o seu corpo tentando mostrar que essa não é a melhor escolha. Ou, ao contrário, aquela sensação de fraqueza, mal estar ou mesmo tontura e mau humor durante uma dieta mais restritiva?

Os dois exemplos mostram que quando se trata de alimentação (e de muitos outros aspectos da vida também, é claro) o equilíbrio é fundamental. Evitar essas sensações que deixam o corpo pedindo socorro traz consequências positivas não somente no aspecto físico de bem-estar como também no mental. Enquanto uma alimentação cheia de regras e proibições podem deixar nossa autoestima lá embaixo a cada falha, os exageros também carregam efeitos a curto e longo prazo.

Biologicamente, temos os efeitos diretos de determinados alimentos na produção de insulina e serotonina, por exemplo. Principalmente alimentos com alto índice glicêmico, causam picos de insulina que elevam a energia ao máximo e, logo depois, provocam uma queda brusca, que pode dar moleza, aumentar o estresse e alterar o sono. Falando em sono, não é novidade que determinados alimentos deixam a gente mais ligados (e, portanto, devem ser evitados à noite) e outros possuem propriedades indutoras do sono.

Pesquisas não faltam para provar os benefícios de comer bem para a saúde – física e mental. Há constatações, inclusive, de uma ligação direta do cardápio com ansiedade e depressão. Foi o que concluiu um estudo feito na Austrália e publicado pela revista PLOS One.

A pesquisa analisou por três meses dois grupos de pessoas com depressão: um que trocou a dieta rica em carboidratos, açúcar e gordura por frutas, legumes, grãos integrais, carne magra, peixe, nozes, sementes e o outro grupo que não fez alteração nenhuma na alimentação. Resultado: aqueles que passaram pela mudança de hábitos demonstraram-se menos deprimidos, ansiosos, zangados, cansados ​​e tensos.

Mas afinal, o que ajuda e o que atrapalha nosso bem-estar?

Alimentos que propiciam o bem-estar:

Os naturais e de alta densidade nutricional, como alimentos ricos em fibras, legumes, verduras, frutas, grãos integrais, carnes magras, peixes e gorduras saudáveis como castanhas, nozes, etc.

Alimentos que afetam o bem-estar:

Os inimigos de uma vida leve e saudável são os alimentos processados e pobres em nutrientes, como pães e massas feitos com farinha refinada, frituras,  doces e outras opções ricas em gorduras e açúcares.

como a sua alimentação afeta o seu bem-estar 2
Please follow and like us:
Pin Share
RSS
Follow by Email